Chapéus há muitos mas os de Águeda valem oito milhões

Jornal de Notícias . Set. 09, 2020. 023 visitas

Estudo revela impacto das ruas cobertas às cores na economia local: por cada euro investido no AgitÁgueda há um retorno de 11,4.
Águeda queria apostar na arte urbana mas faltava-lhe uma mola para projetar a cidade. Pediu ideias a uma empresa e no meio das hipóteses surgiu uma foto de uma favela brasileira com chapéus de chuva/guarda-chuvas, coloridos pendurados, a tapar o sol, no alto de uma rua. Era aquilo. Estávamos em 2012. O "Umbrella Sky Project" (ruas dos chapéus) tornou-se a imagem de marca do festival de artes AgitÁgueda e uma referência da cidade e da região.

Um estudo elaborado pela Tayloring Bussiness & Technology efetuado na última edição, no ano passado, concluiu que o AgitÁgueda tem um impacto na economia local que ultrapassa os oito milhões de euros. Por cada euro investido pelo município, há um retorno de 11,4 euros.
Nos 23 dias de julho de 2019 em que decorreu o festival, que inclui também espetáculos e animação de rua com 800 grupos e artistas, só a restauração arrecadou perto de três milhões de euros. O impacto nos negócios de Águeda, mas também nos municípios vizinhos de Albergaria, Oliveira do Bairro e Anadia, refletiu-se também no alojamento em cerca de 1,5 milhões, no comércio ultrapassou 1,1 milhões e nos transportes rondou um milhão de euros.

Este ano, devido à pandemia, não há "céu colorido", mas foi realizado um alternativo Águeda Drive In, com entrada gratuita, decorrido no estacionamento do Mercado Municipal, onde couberam 400 veículos, com duas noites de comédia, música e cinema. 

As ruas dos chapéus de chuva coloridos foram notícia em 44 países, ao longo das edições dos últimos anos. O canal norte-americano CNN considerou a principal rua de Águeda (Luís de Camões) uma das mais bonitas e coloridas do Mundo. Um impacto brutal para uma iniciativa que custou "apenas" 711 mil euros.

Este ano, sem animação, a economia local vai sentir outro rombo, para além do já provocado pela pandemia, por isso a Câmara vai canalizar parte do investimento destinado ao AgitÁgueda para ajudar o comércio.